A nação fundamenta-se no povo
  • ARTIGOS

A nação fundamenta-se no povo

É de suma importância desenvolver líderes que sirvam às pessoas e se preocupem com a sociedade

Trecho extraído e adaptado do discurso do líder da SGI, Daisaku Ikeda, proferido na terceira sessão da Conferência Executiva Nacional realizada em 1o de agosto de 2006 no Centro de Treinamento de Nagano, Japão, e publicado no jornal Brasil Seikyo, ed.1.866, 4 nov. 2006, p. A5.


Gostaria de compartilhar várias lições sobre liderança da obra chinesa Os Fundamentos do Governo na Era Chen-Kuan (Chen-kuan cheng-yao).1 Esta obra registra uma série de diálogos entre T’ai-tsung (600–649), o segundo imperador chinês da dinastia T’ang, e seus ministros. T’ai-tsung sucedeu seu pai Kao-tsu (566–635) no trono em 626 e mudou o nome da era para Chen-kuan. Ele ficou conhecido por ter nomeado muitos oficiais talentosos e por ter conseguido um reinado de ordem e prosperidade. Com o passar dos séculos, Os Fundamentos do Governo na Era Chen-Kuan se tornou uma obra muito lida e serviu de modelo para os governantes tanto da China como do Japão, entre eles, Ieyasu Tokugawa (1543–1616), fundador do xogunato Tokugawa no Japão. [O buda] Nichiren Daishonin também mencionava essa obra com frequência e ele próprio fez uma cópia dela. Ele pediu também a um de seus discípulos que lhe enviasse um exemplar quando estava exilado na Ilha de Sado.


Uma revolução na liderança

Na obra consta: “A nação fundamenta-se no povo”. É importante compreender de forma correta a essência das coisas. A base da nação é o povo, e a nação se desenvolverá e prosperará quando o povo for bem tratado e puder prosperar.

Daishonin escreveu: “Os governantes devem considerar as pessoas como se fossem seus pais”.2 Os governantes não estão acima e o povo, embaixo. O povo é o verdadeiro soberano da nação; o papel dos que governam é servir ao povo.

Em Os Fundamentos do Governo na Era Chen-Kuan, também está registrado: “Se a pessoa deseja levar paz e segurança à nação, o comportamento do governante deve, acima de tudo, ser correto e apropriado”. É de suma importância treinar líderes que amem e sirvam às pessoas e que se dediquem totalmente ao bem-estar delas. Josei Toda [segundo presidente da Soka Gakkai] fez uma rigorosa advertência, dizendo:

Apesar de agora todos estarem determinados a fazer o máximo, não há nenhuma garantia de que alguns não serão corruptos e atraídos pela fama e pelo dinheiro. No momento em que os líderes esquecem que devem trabalhar pelo bem-estar das pessoas, eles se tornam arrogantes e corruptos. Não podemos aprovar esse tipo de pessoa e devemos tomar todas as medidas para garantir que pessoas assim não apareçam entre nós.

Esse foi o apaixonado brado do Sr. Toda.


Avancem um passo de cada vez

Qual é a causa da desordem e da destruição de um país? Na obrahá a seguinte declaração:

É o resultado de não estar alerta para o perigo quando a nação está em paz, de não pensar nas coisas que estão ficando em desordem quando a nação está bem organizada e de não se preocupar com a possibilidade da ruína quando a nação continua segura e em boas condições.

Os líderes devem ser sábios. Devem visualizar sempre o futuro e pensar constantemente nos passos concretos que precisam ser dados agora e em que lugar. Devem então avançar com rapidez e precisão.

Não há, no entanto, nenhuma necessidade de ficarem impacientes nem terem pressa. Apenas deem um passo de cada vez. Vocês não conseguirão realizar nada se tentarem fazer tudo de uma vez. O importante é aplicarem-se em cada tarefa com sério comprometimento e cuidado. Esta é a chave para a vitória futura.


Notas:

1. Todas as citações desta obra foram retiradas da edição japonesa Jogan Seiyo, tradução e comentário de Taneshige Harada, in Shinshaku Kanbun Taikei (Novo Compêndio dos Clássicos Chineses). Tóquio, Meiji Shoin, 1978, v. XCV.

2. Gosho Zenshu [GZ], p. 1554.

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;